Po e gua

(L Borges, Mrcio Borges e Roger Mota)

Prato feito mal servido todo dia
Todo povo a devorar
Como pasto verde calmamente devorado
Pelos animais
Cachoeiras sem as guas
barranco torto morto tudo igual
Como correnteza sem barranco
apenas gua a rolar
Gira a roda do moinho
Mi o milho, mi o trigo, faz o po
Po e gua mal servidos para devorar

Corre a bola, rola o circo
Alegria tudo, tudo carnaval
No silncio dessas matas muita coisa viva
Tem pra se matar
Picadeiro sem palhao
Todos os aplausos so para o leo
E essa platia educada
Calmamente a ver e esperar
Girar a roda da fortuna
Mi a vida, mi o sonho, mi o po
Po e circo mal servidos para devorar