O carioca

(Alexandre Lemos)

O meu pai carioca
Minha me carioca
E eu nasci nessa cidade onde o mundo desemboca
Transformando foz e fonte desse rio em pororoca
Eu nasci nessa cidade
E o meu filho carioca
O meu pai carioca
Minha me carioca
E eu nasci nessa cidade onde a gente nem se toca
Onde o sonho de ser livre no se vende e nem se troca
Eu nasci nessa cidade
Meu amor carioca
Os meus versos cariocas
Minhas filhas cariocas
Minhas pernas pelas ruas e avenidas cariocas
E se hoje eu desatino num sotaque nordestino
que eu sei, desde menino
Que a sina da cidade ser o porto das trocas
A cidade e suas docas
A cultura da mistura fura o tempo feito broca
E a mistura da cultura
Vai fazendo a escultura do que mais carioca
E o meu pai carioca
Minha me carioca
Meu passado, minha tribo, minha taba, minha oca
Meu presente de argamassa pro futuro se desloca
Tudo Rio de Janeiro
Todo mundo carioca